16 de mai de 2010

TEU JARDIM

Teu jardim tão belo e caro

Teve flores arrancadas

Não duvides

É sempre assim...

Quando a solidão se instala.
Quem conhece a tua grandeza

Ao teu lado quer estar

Ver-te triste ou ausente

Faz o riso silenciar

Não duvides

É sempre assim...

Quando a gente tem amigos

Que enfrentam contigo

O audacioso perigo

De no amor acreditar

Que as raízes bem fincadas

Da tua flora de esperança

Traga o verde de boas lembranças

Pro teu pranto estancar
Não duvides

É sempre assim...

E para sempre será

Em teu lindo e raro jardim...

Não duvides de mim,

Flores novas vão brotar!



Analúcia Azevedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário