4 de fev de 2009

A Sucupira de Guel Arraes

A cidade histórica de Marechal Deodoro, tem a sua rotina toda modificada com a chegada da equipe que dará vida a Sucupira, cidade administrada pelo antológico e anedotista político Odorico Paraguaçu, autor de frases auspiciosas como “ É com a alma lavada e enxaguada que lhe recebo nesta humilde cidade… vivido por Marco Nanini, que tem como seu principal projeto inaugura um cemitério na cidade, mas seus planos encontram um empecilho: ninguém morre em Sucupira.” Esta obra entrará para os anais e menstruais de Sucupira e do país”. A trama conta também com outros personagens cômicos como as irmãs Cajazeiras interpretadas por Andréia Beltrão, Zezé Polessa e Drica Moraes, o elenco ainda conta com José Wilker como Zeca Diabo, Matheus Nachtergale como Dirceu Borboleta, Tonico Pereira como Vladimir de Castro, Maria Flor como Telma Paraguaçu e Caio Blat como Neco Pedreira. Uma peça de Dias Gomes com adaptação de texto e direção de Guel Arraes, diretor de grandes produções nacionais como “O Auto da Compadecida”, “Lisbela e o Prisioneiro” e produção de Paula Lavigne. A trama passa em uma cidade litorânea do interior do país nos anos 60, Sucupira é uma metáfora sobre o Brasil, nossos políticos retratando a verdadeira cara do poder. O filme tem previsão de estréia para setembro.







(Fotos e texto Maria Lucyelma)

Nenhum comentário:

Postar um comentário