7 de mai de 2009

A feira ...

A feira dos municípios, tem uma grande importância para toda a população alagoana, que é conhecer melhor o seu estado, tendo um contato com as diversidades culturais e suas raízes, distribuído em todos os 60 estandes era só darmos uma passada para nos deslumbra com todos os artezanatos, com suas cores e diversidade encantando a turistas e a nos mesmo que muitas vezes não temos conhecimento de tanta riqueza.Cada região estava bem representada o sertão por Piranha, que fez uma homenagem as vestimentas dos sertanejos como contrastando com, o moderno estilizado do couro, material esse que veste os vaqueiros do, nosso sertão para a árdua missão "da pega de boi" no terrreno árido da nossa caatinga, de aparência tão rústica mas que nas mãos desses artistas ganham outras formas mais delicadas, outro estande que me champou atenção foi o de Penedo que retratou a sua arquitetura colonial, em suas igrejas, teatro, casarões, com toda pompa que suas ladeiras e ruas estreitas cheia de historia merece, sem falar no seu artezanato, representado por caixas muito bem confeccionadas com as fotos de seus pontos turísticos. Jà o agreste ficou por conta da segunda maior cidade do nosso estado Arapiraca que em seu estande trazia a riqueza de seu solo sofrido mais prospero.O litoral a representação foi forte tendo como puxado Coruripe com suas exuberantes praias e com os seus traçados na palha do oricuri, seguido de Marechal Deodoro com as suas ruas historicas e o nosso tão fomoso file, com a zona da mata não foi diferente União dod Palmeres com o seu legado de resistência nos mostrou as suas raizes no artezanato de barro, como tambem Capela com os seus bordados retratando o cotidiano dos canaviais da região,seguido por Cajueiro com os seus matérias de fibra de bambu e bagaço de cana estilizando cadernos e bolças sem falar em Viçosa que esse ano teve uma lacuna deixada pela arte e a presença de Ronaldo Aureliano que além de ser um apaixonado e incentivador da cultura popular era uma grande artista, que usava sucata da ferrovia para fazer as suas esculturas retratando a nossa realidade política e social, como também os nosso folguedos.Esperamos que feiras como essa sirva para estigar o nosso povo, a olhar para o que é nosso valorizando e aprendendo com cada artesão, que lá estava a amar o que nossa terra tem de melhor. E VIVA A NOSSA CULTURA!

Maria Lucyelma

Nenhum comentário:

Postar um comentário